Comprar o OncoMapa agora

O Laboratório VETPAT traz ao Brasil o mais novo teste diagnóstico oncológico permitindo com que a medicina de precisão seja praticada aos nossos pacientes.

Com o OncoMapa é possível realizar a avaliação genética dos tumores dos cães e utilizar essas informações para estabelecer decisões terapêuticas direcionadas as necessidades de cada paciente.

A medicina de precisão é uma área inovadora na oncologia que visa através da identificação do perfil genético do paciente estabelecer metas terapêuticas com maior eficácia e resultado.

Como o teste é realizado?

Através de uma pequena quantidade de RNA extraída das lâminas preparadas do bloco de parafina (previamente utilizado no exame histopatológico), conseguimos realizar o OncoMapa em um prazo de 25 dias úteis. Não havendo necessidade de coletar novas amostras.
O teste é específico para os cães a plataforma genética para os felinos ainda não está disponível.

Quais informações posso esperar do teste?

Através da expressão de mRNA (RNA mensageiro) o teste irá apontar dentre um pool de 192 genes aqueles com alta ou baixa expressão na amostra do tumor.

Os 192 genes que são estudados nesta plataforma foram previamente selecionados baseados em trabalhos científicos publicados em cães e humanos, e visam trazer as seguintes informações:

– Confirmação da histogênese tumoral
– Identificação das vias de sinalização tumoral
– Identificação dos receptores de tirosina kinase
– Identificação dos fatores de transcrição ativados
– Avaliação da expressão de genes que conferem resistência aos antineoplásicos
– Identificar tumores que possam ter melhor resposta a imunoterapia
– Genes que indicam pior prognóstico

Como utilizar as informações do teste na escolha terapêutica?

Além da identificação dos genes que estão com alta ou baixa expressão, o teste aponta as principais vias de sinalização tumoral.
Baseado na expressão gênica, o laudo traz sugestões de fármacos de ação específica e de agentes antineoplásicos que podem trazer maior benefício aos pacientes por conseguirem escapar dos mecanismos de resistência tumoral.

Confira os exemplos de laudos abaixo:

– Avaliação dos genes de resistência tumoral:

“a alta expressão de genes como ERCC1 e MGMT sugere que esse tumor apresenta resistência aos antineoplásicos que causam danos ao DNA como os agentes alquilantes (ex. ciclofosfamida, clorambucil, melfalano, mecloretamina, lomustina, carmustina entre outros) e platinados (ex. cisplatina e carboplatina), que podem ter menor eficácia para controlar as células tumorais. ”

– Indicação de terapia alvo:

“a rapamicina tem capacidade de inibir a expressão do MDM2 e aumentar a sensibilidade a ação dos agentes antineoplásicos, e por isso é indicada a esse paciente.”

Comprar o OncoMapa agora